Aguarde, carregando...

Facebook  Instagran  Youtube  Whattsapp  Contato
Asbran

Alimentos que pacientes com suspeita de Dengue devem evitar
Postado em 08/04/2013


O Brasil enfrenta este ano uma das maiores batalhas contra a Dengue que se alastra em vários municípios e estados. Minas Gerais é o mais atingido pela doença. Dados da Secretaria da Saúde do Estado, divulgados dia 4, aponta 165.845 casos notificados, muito acima do registrado em todo o ano de 2012 (46.681). Também foram registrados 37 óbitos.

A ASBRAN, engajada nas campanhas de orientação ao cidadão, traz algumas informações importantes para o paciente com suspeita de Dengue no aspecto nutricional.

Segundo a Profª e Drª Nelzir Reis, alimentos que contêm salicilatos e os de ação antitrombótica devem ser evitados em caso de suspeita da doença. Portanto, evite consumir ABRICÓ, AMEIXA FRESCA, AMÊNDOA, AMORA, BATATA, CEREJA, GROSELHA, LIMÃO, MAÇÃ, MELÃO, MORANGO, NECTARINA, NOZES, PASSA, PEPINO, PÊSSEGO, PIMENTA, TANGERINA, TOMATE e UVA.

Os alimentos que têm ação antitrombótica são: ALHO, CEBOLA, GENGIBRE.

A nutricionista ainda detalha sobre os derivados salicílicos, que diminuem a biodisponibilidade da vitamina C, os níveis séricos de folato - ferro e potássio e as proteínas plasmáticas. Ao mesmo tempo aumentam a excreção urinária das vitaminas B1, B6 e K. Podem provocar alterações gástricas, hipotensão, alergia, distúrbio do equilíbrio ácido-básico e fenômenos hemorrágicos que poderão gerar anemia.

Já o Paracetamol interfere na absorção das vitaminas B1 - B6 - K e folacina. "Dietas hiperglicídicas e contendo alto teor de pectina retardam sua absorção. Pode provocar alterações hepáticas", explica.
Ela ainda reforça a necessidade da hidratação que, nos casos de dengue, é fundamental. "A recomendação é ingerir, em média, 60 a 80 ml de líquido por quilo de peso dia. Assim, para uma pessoa de 60kg o volume ingerido deve variar de 3,6 litros a 4,8 litros dia, nos primeiros cinco dias. A administração deve ser fracionada em pequenos volumes de forma a evitar náuseas e vômitos", afirma Nelzir.

Podem ser utilizados também sucos, água de coco, soluções isotônicas (Gatorade, Pedialyte, Sportdrink, Sport Fluide, Sport Ade), além do soro de hidratação oral. Caso não consiga ingerir volume adequado devido à presença de náuseas e vômitos, procure um Serviço de Emergência para hidratação venosa.

COMO SE ALIMENTAR

Febre alta (39° a 40°C), dores de cabeça, cansaço, dor muscular e nas articulações, indisposição, enjôos, vômitos, manchas vermelhas na pele, dor abdominal (principalmente em crianças). Para quem está com alguns destes sintomas, vai o alerta: pode ser mesmo dengue, e agora?

A ordem é sempre repouso e a ingestão de muito líquido, além de medicamentos anti-térmicos. Mas e como fica a parte nutricional? Alguma dieta especial ajuda? Sim. Tenha em mente que um organismo bem nutrido vai reagir melhor à doença.

Nutricionistas da ASBRAN recomendam durante o período mais crítico uma dieta leve e de fácil digestão e absorção. É importante consumir hortaliças em geral e alimentos ricos em ferro (carne vermelha magra, por exemplo), frutas e sucos ricos em vitamina C. O ferro é fundamental porque  pacientes com dengue apresentam queda substancial no número de plaquetas.

Não esqueça também dos alimentos ricos em proteínas como ovos, leite e derivados, pois a imunidade será comprometida. 

Boa parte das pessoas apresenta um quadro de náuseas dificultando a alimentação, mas é importante o estímulo na ingestão de pequenas porções de alimentos a cada duas horas. Para ajudar, pode-se ainda ingerir complementos enriquecidos com vitaminas e minerais.

AVANÇO DA DENGUE

Depois de Minas Gerais, o Estado de Mato Grosso do Sul já está em grande alerta. A taxa de incidência da doença no Estado é de 3.133,6 notificações por grupo de 100 mil habitantes. Mais de 3% dos 2,4 milhões de habitantes do Estado notificaram suspeita de dengue nos primeiros meses de 2013.

Mas a epidemia vivida em muitas localidades não se restringe ao Brasil. A Organização Mundial de Saúde - OMS alerta que o número de pessoasinfectadas com a dengue no mundo pode ser quatro vezes maior, como aponta uma nova pesquisa. A OMS estimou que o número de casos de dengue ficaria entre 50 milhões e 100 milhões a cada ano. Depois do novo estudo acredita-se que o número pode chegar em torno de 390 milhões - embora cerca de dois terços destas pessoas tenham apenas sintomas leves e não precisem de atendimento médico. O estudo foi publicado na internet na revista Nature no domingo.

Os dados não devem mudar como os pacientes são tratados, mas pode levar a uma busca mais rápida por uma vacina para a doença. O estudo foi financiado pela Wellcome Trust, pelo Departamento de Segurança Interna dos EUA e outras instituições.

 

Observatório de Publicidade de Alimentos

Entenda, aprenda e denuncie | www.publicidadedealimentos.org.br

Orgânicos para o Mundo

Promova e sua rede a alimentação saudável e adequada

Pela Saúde do Coração | Gordura Trans Não

Acesse o site do projeto www.gorduratransnao.com.br