ASBRAN: das origens da Nutrição às Metas do Milênio

Não é todo dia que uma associação completa 65 anos. Uma data assim revela uma trajetória de força, determinação e união por objetivos comuns: engrandecer a Nutrição e fortalecer a categoria no país.

Foi pensando neste objetivo que em 31 de agosto de 1949, no Rio de Janeiro (RJ) na época capital da República, a Associação Brasileira de Nutrição (ASBRAN) nasceu. Fundada com o nome Associação Brasileira de Nutricionistas (ABN), foi a primeira entidade ligada à profissão. Ao longo dos anos, empreendeu - e venceu -, diversas batalhas em prol da profissão, gerando inúmeros benefícios à sociedade brasileira. Um dos principais capítulos foi a realização, em 1958, do 1º Congresso Brasileiro de Nutrição (CONBRAN), com o objetivo de que as associações estaduais a ela se filiassem, sob a forma de seções.

A profissão

Reconhecimento do nutricionista

De Lieselotte Hoeschl Ornellas a Josué de Castro

Não se poderia contar a história da ASBRAN e da Nutrição no país sem falar de Lieselotte Hoeschl Ornellas, remanescente da primeira geração brasileira de nutricionistas, que se compunha de duas enfermeiras que cursaram nutrição na Argentina. Esta catarinense brilhante é o foco de um estudo da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Nele, Lieselotte conta em detalhes os tempos em que enfrentou dificuldades no período da Segunda Guerra para fazer valer o que lhe fora ensinado na Argentina e lembra a passagem pela Inglaterra onde cursou pós-graduação em Nutrição, entre 1947 e 1949. Lieselotte Ornellas tinha uma consciência extremamente humanista e sua participação como profissional e docente, durante 66 anos, contribuiu de forma singular para o desenvolvimento da Enfermagem e da Nutrição no Brasil.

Da mesma maneira, a presença do médico Josué de Castro na História da Asbran e da Nutrição é marcante. Ele lutou muito pela profissão no Brasil. Como deputado, em 4 de setembro de 1959 Josué de Castro apresentou, na Câmara Federal, o projeto Lei 904/59, que dispunha sobre o ensino superior de Nutrição, regulava o exercício da profissão de dietista (nutricionista) e dava outras providências. Começava um novo passo na trajetória de conquistas para os nutricionistas. Antes da apresentação o projeto foi discutido em sessão geral da ainda nomeada ABN, durante a Semana da Nutricionista. A Comissão de Justiça da Câmara enviou o projeto à apreciação do diretor de ensino superior, onde foi aprovado.

A década seguinte também seria marcada por mais avanços, entre eles a Portaria Ministerial nº 3.424, de 1968, que incluiu os nutricionistas como pertencentes à categoria de profissionais liberais nutricionistas ou dietistas, conforme solicitação da ABN. Esta fase culminou, em agosto de 1969, na ocasião das comemorações do Dia do Nutricionista, com missa gratulatória na igreja de Santa Luzia, seguida pela inauguração da sede própria da ABN, então no Rio de Janeiro (RJ).